Empack and Logistics & Automation Porto

26 & 27 mayo 2022 | Exponor, Feira Internacional do Porto, Portugal

Empack and Logistics & Automation Porto

26 & 27 mayo 2022 | Exponor, Feira Internacional do Porto, Portugal

Empack and Logistics & Automation Porto

26 & 27 mayo 2022 | Exponor, Feira Internacional do Porto, Portugal

A Mango deixará de usar 160 milhões de sacos de plástico na sua cadeia de abastecimento

A empresa dá início a este projeto de substituição de sacos de plástico por sacos de papel nas produções de proximidade para peças dobradas A marca torna-se na primeira grande empresa do sector têxtil em Espanha a realizar este projeto A iniciativa enquadra-se nos compromissos assumidos no Fashion Pact A Mango avança no compromisso com a sustentabilidade, um dos seus principais eixos estratégicos, e dá início a um projeto onde substitui os sacos de plástico do packaging por sacos de papel, tornando-se assim na primeira grande empresa do sector têxtil em Espanha a dar este passo. O objetivo da companhia é eliminar, progressivamente e em colaboração com os seus fornecedores, todos os sacos de plástico que são utilizados para distribuir os produtos ao longo da cadeia de abastecimento. Desta forma, a Mango deixará de usar cerca de 160 milhões de sacos de plástico. Passarão a ser usados sacos de papel tissue, um material elaborado a partir de pasta natural de fontes renováveis. Este papel provém de florestas geridas de forma sustentável, onde as práticas usadas para cortar as árvores são certificadas de acordo com os requisitos das normas internacionais FSC® (Forest Stewardship Council®). Desta forma, contribui igualmente para uma economia circular, pois os produtos de papel podem ser reciclados, em média, entre quatro e seis vezes. Inicialmente, o projeto será lançado em produções de proximidade em peças dobradas e no canal online, após o sucesso dos três testes-piloto realizados pela empresa em Marrocos, na China e na Turquia. A Mango prevê que este novo projeto possa ser implementado em todas as suas peças até ao final de 2021. De acordo com Toni Ruiz, CEO da Mango, “este é um projeto de grande envergadura, que terá um impacto muito positivo no meio ambiente, pois graças à sua implementação deixaremos de utilizar cerca de 160 milhões de sacos de plástico por ano. Estamos muito satisfeitos por realizar este tipo de projetos que nos ajudam a avançar para uma moda mais sustentável que nos permite, por seu turno, pôr em prática a transformação sustentável da empresa.” Fashion Pact O projeto enquadra-se no Fashion Pact, uma coalizão global que visa promover a sustentabilidade ambiental dos sectores têxtil e da moda aos quais a empresa aderiu em 2019. Neste pacto global, todos os seus signatários se comprometem a trabalhar em conjunto para minimizar o impacto ambiental da indústria têxtil e da moda, centrando-se em três pilares: lutar contra as alterações climáticas, preservar a biodiversidade e proteger os oceanos. Em linha com o último pilar, a Mango deu início a este projeto com o objetivo de eliminar qualquer tipo de plástico do seu packaging.
Mango Press-Room
A empresa dá início a este projeto de substituição de sacos de plástico por sacos de papel nas produções de proximidade para peças dobradas.

A marca torna-se na primeira grande empresa do sector têxtil em Espanha a realizar este projeto

A iniciativa enquadra-se nos compromissos assumidos no Fashion Pact
A Mango avança no compromisso com a sustentabilidade, um dos seus principais eixos estratégicos, e dá início a um projeto onde substitui os sacos de plástico do packaging por sacos de papel, tornando-se assim na primeira grande empresa do sector têxtil em Espanha a dar este passo.

O objetivo da companhia é eliminar, progressivamente e em colaboração com os seus fornecedores, todos os sacos de plástico que são utilizados para distribuir os produtos ao longo da cadeia de abastecimento. Desta forma, a Mango deixará de usar cerca de 160 milhões de sacos de plástico.

Passarão a ser usados sacos de papel tissue, um material elaborado a partir de pasta natural de fontes renováveis. Este papel provém de florestas geridas de forma sustentável, onde as práticas usadas para cortar as árvores são certificadas de acordo com os requisitos das normas internacionais FSC® (Forest Stewardship Council®). Desta forma, contribui igualmente para uma economia circular, pois os produtos de papel podem ser reciclados, em média, entre quatro e seis vezes.

Inicialmente, o projeto será lançado em produções de proximidade em peças dobradas e no canal online, após o sucesso dos três testes-piloto realizados pela empresa em Marrocos, na China e na Turquia. A Mango prevê que este novo projeto possa ser implementado em todas as suas peças até ao final de 2021.

De acordo com Toni Ruiz, CEO da Mango, “este é um projeto de grande envergadura, que terá um impacto muito positivo no meio ambiente, pois graças à sua implementação deixaremos de utilizar cerca de 160 milhões de sacos de plástico por ano. Estamos muito satisfeitos por realizar este tipo de projetos que nos ajudam a avançar para uma moda mais sustentável que nos permite, por seu turno, pôr em prática a transformação sustentável da empresa.”

Fashion Pact
O projeto enquadra-se no Fashion Pact, uma coalizão global que visa promover a sustentabilidade ambiental dos sectores têxtil e da moda aos quais a empresa aderiu em 2019. Neste pacto global, todos os seus signatários se comprometem a trabalhar em conjunto para minimizar o impacto ambiental da indústria têxtil e da moda, centrando-se em três pilares: lutar contra as alterações climáticas, preservar a biodiversidade e proteger os oceanos. Em linha com o último pilar, a Mango deu início a este projeto com o objetivo de eliminar qualquer tipo de plástico do seu packaging.

Saiba mais.