Primor: A ambição de ser um grupo líder em Portugal

noticia primor

Os primeiros passos da expansão da insígnia espanhola Primor em Portugal foram positivos e acima das expectativas, não obstante o contexto em que as lojas abriram. Este é o balanço que o proprietário e CEO, Juan Ricardo Hidalgo, faz da internacionalização, em que se inclui a abertura de 30 espaços em 2021.

Olha para Portugal como um país que, nos últimos anos, se tem “concentrado em modernizar-se completamente, uma reforma de várias maneiras que o colocou em excelentes posições nos rankings internacionais”. Ademais, “Portugal sempre foi um destino natural para as empresas espanholas”.

São fatores que determinaram a expansão da Primor, impulsionados pelo facto de entre os seus desafios para “continuar a manter a liderança no mercado espanhol” estar o da internacionalização. É que – diz – “Primor tem como objetivo chegar a todas as casas e tornar a beleza acessível a todos”.

De acordo com Juan Hidalgo, a empresa cresceu nos últimos anos até tornar-se a perfumaria com maior participação de mercado: “Somos líderes em nosso segmento, com uma quota de mercado de 8% (de todo o setor Higiene Consumo – beleza) e 20% do setor de perfumaria (fonte Nielsen 21 set.)”. Realça ainda que, em outubro último, a Primor ganhou o prémio de Melhor Perfumaria do Ano da Espanha, e comenta: “Os consumidores confiam na qualidade dos nossos produtos a preços imbatíveis”.

E o que diferencia, afinal, a insígnia: o CEO responde que o sucesso é baseado em três pilares fundamentais – preços baixos, grandes instalações e a força do canal digital. E faz notar que, além das marcas de luxo, a Primor possui mais de 50.000 referências de artigos que – diz – “apresentam uma ótima relação qualidade-preço”. “Além disso, as nossas lojas estão localizadas tanto nas ruas como nos principais centros comerciais da geografia espanhola e portuguesa. O caráter inovador das instalações e a procura de novas marcas e conceitos são também fundamentais para o bom posicionamento da empresa. Também trabalhamos com base em uma abordagem omnicanal eficiente e uma comunicação 360, que coloca o cliente acima de tudo”, destaca.

Foi em janeiro de 2020 que abriu a primeira loja em Portugal, no centro comercial UBBO. Com um “resultado líquido foi positivo apesar das restrições derivadas da pandemia”. “Neste sentido, a constância e o esforço foram fatores determinantes”, afirma.

A segunda loja abriu já este ano, no Porto, tendo sido apresentada como a maior. E, de acordo com o empresário, todas as expectativas foram superadas, com este espaço a representar “um passo importante para consolidar a Primor como um grupo líder na distribuição de perfumaria e cosmética em Portugal”.

Situam-se ambas em centros comerciais, correspondendo a uma aposta direcionada para a presença em “enclaves únicos e estratégicos”. Juan Hidalgo entende que os centros comerciais têm como grande vantagem a sua capacidade de atrair e reter grande número de pessoas, representando um ecossistema muito atraente para os consumidores. Mas a Primor pretende “cobrir todas as frentes”, pelo que vai abrir igualmente lojas de rua em Portugal, à semelhança do que acontece em Espanha.

Também o comércio eletrónico é vital, tendo atingido “níveis extremamente elevados”. As transações online já representam um quarto das vendas totais. A insígnia propõe-se corresponder que aos clientes tradicionais, quer às nossas gerações, acostumadas a fazer compras pelo computador ou telemóvel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.